quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Novena em preparação à festa de Madre Clélia - 21 de novembro

 


TEMA CENTRAL:
“Entrar no Coração para permanecer na escola do AMOR”
Iniciamos hoje a Novena em preparação a festa de nossa Fundadora, vamos louvar e agradecer a Deus, pela presença de Madre Clélia, pelo nosso carisma e por todos os benefícios recebidos ao longo destes anos de missão. Ao longo destes 09 dias iremos entrar com Madre Clélia no Coração para permanecermos na escola do AMOR, refletindo sobre algumas sementes, que são virtudes do Coração de Jesus, e pedir que Ele nos conceda a graça de reproduzí-las em nossas vidas. Virtude da HUMILDADE, CARIDADE, CONFIANÇA, DESPOJAMENTO, FÉ, PERSEVERANÇA, MISERICÓRDIA, PACIÊNCIA, GRATIDÃO. Permanecer supõe uma vivência prolongada no Amor, para saboreá-lo com todas as fibras do próprio ser, para assimilá-lo e para deixar-se transformar, supõe, portanto, um aprofundamento no conhecimento experimental, na intimidade, na amizade. Vivamos intensamente estes dias com Madre Clélia 
1º dia: Com Madre Clélia permanecer na Escola do Amor para aprender a HUMILDADE
Oração ao Divino Espírito Santo
Vem, Espírito Santo, transforma a tensão dentro de mim em um santo relaxamento. Transforma a turbulência dentro de mim em uma calma sagrada. Transforma a ansiedade dentro de mim em uma confiança silenciosa. Transforma o medo dentro de mim em uma vigorosa fé. Transforma a amargura dentro de mim na doçura da graça. Transforma a escuridão dentro de mim em uma suave luz. Transforma a frieza dentro de mim no calor do amor. Transforma a noite dentro de mim na claridade do teu dia. Transforma o inverno dentro de mim na tua primavera. Endireita o que em mim está torto, enche o meu vazio, arranca o meu orgulho e faze crescer em mim a humildade. Acende o fogo do meu amor. Ajuda que eu me veja como Tu me vês para confirmar os dons que recebi de ti e poder afastar os obstáculos que impedem a tua ação. Vem, Espírito Santo, vem!
Canto
Introdução: No exercício da humildade, parece que Deus apaga a criatura, mas responde Bossuet, “quando Deus apaga é porque pretende escrever alguma coisa” escrever a história de amor em colaboração com a criatura predileta. Mais uma vez, se confirma que a humildade não é fim em si mesmo, mas está destinada a criar espaço para o amor. A humildade não é meta, o ponto de chegada, mas é a estrada que conduz à casa do Amor. É a virtude que reclama amor, o terreno que oferece ao Amor condições para crescer e manifestar-se. A consciência, portanto, do próprio nada, cria dentro de nós o lugar amplo, o vazio, o espaço onde habitará Ele, Jesus, que é Verdade e Amor. Consequentemente, o verdadeiro humilde é rico de amor.
Leitor 1: A alma humilde crê no amor de Deus por ela, está certa das predileções de Jesus pelos pequeninos, pelos mansos e humildes, sente-se constantemente protegida e envolvida pela Misericórdia Divina. O amor vai trabalhando nela, para transformá-la, lentamente, numa obra-prima.
Em sintonia com a Palavra de Deus: Mt.11,28-30

Palavras da Madre Fundadora: “Quanto é terno, minhas filhas, o amor de Deus para com a alma humilde! Quando Jesus vê uma alma humilde no sofrimento, Ele a consola; quando a encontra abismada no sentimento do seu verdadeiro nada, Ele se aproxima e lhe dá uma abundância de graças, e, na proporção em que ela se humilha, Ele a exalta, revela-lhe seus segredos e a atrai suavemente a si. Minhas filhas, quanto mais descerdes no abismo de vossas misérias, tanto mais Deus vos concederá graças aqui na terra e glória no céu. Quando vós, filhas, com humildade de coração, lhe pedirdes alguma coisa, ficai certas de que vossa oração será sempre acolhida.” (Ant. Esp. p.124, Mg.I, p.138)
Oração final (Oração para todos os dias)
Ó Santíssima Trindade, que vos comprazeis em exaltar os humildes e confundir os soberbos, dignai-vos ouvir a minha prece concedendo-me, por intercessão de vossa fiel Serva Madre Clélia, a graça que ardentemente desejo.  (Pedir a graça, individualmente ou em comum. 3 Glórias ao Pai em honra da Santíssima Trindade)
Canto final
2º dia: Com Madre Clélia permanecer na Escola do Amor para aprender a CARIDADE
Invocação ao Espírito Santo
Divino Espírito Santo, amor eterno do Pai e do Filho, eu te adoro, te louvo e te amo.  Espírito de Verdade, consagro-te a minha inteligência, imaginação e memória: ilumina-me.  Dá-me conhecer Jesus Cristo Mestre.
Revela-me o sentido profundo do seu Evangelho. Concede-me o dom da sabedoria, da ciência, da inteligência, do conselho.  Espírito santificador, consagro-te a minha vontade: conduze-me sempre e em tudo conforme a vontade do Pai.
Concede-me o dom da fortaleza e o santo temor de Deus. Espírito de vida, consagro-te o meu coração:  Faze crescer em mim a vida divina. Concede-me o dom da piedade. Amém.  (Prece ao Espírito Santo – Pe. Alberione)
Canto:
Introdução: A maneira típica de viver a própria espiritualidade para as Apóstolas do Sagrado Coração é percorrer a estrada do amor, que é constituída de etapas bem precisas. Referem-se não ao amor de Deus em geral, por exemplo, aquele de que falam os profetas, mas ao Amor de Deus que se fez carne; o amor que passa através do Sagrado Coração de Jesus.

Leitor 1: Pode-se, portanto, com certeza afirmar: O Coração de Jesus agora está aqui, diante de ti e para ti, aberto. É o refúgio das almas prediletas, é o manancial onde encontramos “todos os tesouros da sabedoria e da ciência”; é a sala nupcial onde se celebram as bodas. Este Coração agora se volta para ti e te convida a entrar nela para dar início ao itinerário do amor.

Em sintonia com a Palavra de Deus: Rm.13,8-10
Palavras da Madre Fundadora: O Pode-se crescer no amor de Deus amando-o, isto é, multiplicando, dia e noite, as aspirações de amor para com Ele. Cada ato de amor é como lenha colocada no fogo: acende, aquece, aumenta a chama do nosso amor. É necessário que nos conscientizemos frequentemente do estado de nossa alma; que nos examinemos até que ponto o santo amor nos domina, se é verdadeiramente o motivo dos nossos atos e dos nossos sentimentos, e, depois deste exame, conceber um grande desejo de amar a Deus sempre mais, pedindo-lhe a graça de poder e saber amá-lo com todas as forças da nossa alma.” (Ant. Esp. p.27, Mg.I, p.15)
Oração final (ver a oração para todos os dias -  primeiro dia)

Canto final
3º dia: Com Madre Clélia permanecer na Escola do Amor para aprender a CONFIANÇA
Invocação ao Espírito Santo
Ó Espírito Santo, Amor do Pai e do Filho.  Inspirai-me sempre o que devo pensar, o que devo dizer, como devo dizer; o que devo calar, o que devo escrever, como devo agir, o que devo fazer para obter a vossa glória, o bem das almas e minha própria santificação. Amém.    (Cardeal Mercier)

Canto
Introdução: Ao confiar somente em Deus, em Deus Só, Madre Clélia nos revela a grandeza, a profundidade e a altura a que Ela chegou no amor a Deus e  à humanidade. O primeiro biógrafo de Madre Clélia, procurando expressar, de forma compreensível a nós, a experiência de união com Deus, assim, se expressa: “Sua alma se exalava numa oração fervorosa e incessante”. Depois da suspirarão volta à casa Mãe. Continuou, com ritmo acentuado, sua vida de imersão em Deus... Feliz pela proximidade de Jesus sacramento, tornou-se assídua Adoradora; freqüentemente passava do quarto ao Coro para saudá - lo”.
Leitor 1: Quando ela se dispõe a rezar, como primeira medida, toma logo consciência de uma presença, da Divina Presença, que sente próxima, íntima, familiar, confiante. Assim, de modo lento e sereno, inicia um “tu a tu”, um face a face” que afasta todo receio e preocupação e abre o coração a uma confidência plena e ilimitada, como entre amigos. Clélia conhece bem o seu Jesus e se sente reconhecida por Ele. Ama-O intensamente e se sente amada por Ele. Jesus para ela é uma presença de amor, íntima, sempre acessível ao Coração ; por isso, todo lugar é bom para encontrá-Lo e estar com Ele

Em sintonia com a Palavra de Deus: Filipenses (4,11-13)
Palavras da Madre Fundadora: “Pede a Jesus que fale sempre à tua alma. Asseguro-te, minha filha, que sua voz te instruirá mais em um só dia do que as escolas dos sábios em muitos anos. Não hesites mais, minha filha, em recolher santamente tua mente e teu espírito, conservando-te na presença de Deus. Pede-lhe, suplica-lhe, roga-lhe com insistência, a exemplo da Cananéia, não só que te fale, mas te faça saborear a suavidade de sua voz paterna. Posso garantir-lhe que, se fores, aos poucos, fiel à sua voz, não conseguirás mais viver longe Dele, contanto que teu coração e todas as tuas faculdades mentais, permaneçam a Ele unidos.(Ant. Esp. p.50, Mg.I, p.93)
Oração final  (ver a oração para todos os dias -  primeiro dia)
Canto final
4º dia: Com Madre Clélia permanecer na Escola do Amor para aprender o DESPOJAMENTO

Ó Espírito Santo
Ó Espírito Santo, alma de minha alma, eu vos adoro; esclarecei-me, guiai-me, fortificai-me, consolai-me, dizei-me o que devo fazer, dai-me as vossas ordens, prometo-vos submeter-me a tudo quanto desejais de mim, e aceitar tudo o que permitirdes me acontecer; fazei-me apenas conhecer vossa vontade. (Cardeal Mercier)
Introdução: Como se exprime madre Clélia, a alma despojada, se entrega e Ele, e Ele opera coisas maravilhosas nela. É o momento no qual Clélia é completa e plenamente passiva e é o ponto culminante no qual o Sagrado Coração alegra-se e goza da presença de sua dileta em adoração. Na verdade, não é bem ela a adorar, a olhar extasiada, a contemplá-Lo, mas muito mais Ele, o Amor, que se alegra por tê-la consigo, por olhá-la, por contemplá-la . E quando é Ele que olha, é sinal de que a ama perdidamente e, no amor, doa a si mesmo o seu amor, o seu ser Deus, e  torna a criatura semelhante e Ele, criatura divina.
Leitor 1: Toda a pessoa de madre Clélia é atenção amorosa polarizada em Deus, é paz interior, quietude e repouso, sem ações ou exercícios das faculdades. Está sozinha, imóvel, sem pensamento, somente empenhada num único e prolongado ato de amor.
Em sintonia com a Palavra de Deus:: Lc 6,27-38

Palavras da Madre Fundadora: “...quando te apresentares diante de Deus para rezar, deves, antes de tudo, conscientizar-te de sua adorável presença; nada mais próprio, para manter-se em atitude de escuta e respeito, durante todo o tempo da oração. Deves implorar a assistência do Espírito Santo, pois, sem Ele, não podemos conceber nem mesmo um bom pensamento.” (Ant. Esp. p.60, Mg.I, p.19)
Oração final (ver a oração para todos os dias -  primeiro dia)

Canto final

5º dia: Permanecer na Escola do Amor para aprender a FÉ

Prece ao Espírito Santo
Espírito de Deus, vem repousar em mim a fim de que a minha vida seja guiada pela tua sabedoria. Quero anunciar-te em tudo o que digo e faço. Conduz, Espírito de Deus, minha palavra para que seja justa e clara e não se contamine com a maledicência e a mentira. Penetra meus pensamentos com a luz da tua verdade. Adapta bem, Espírito de Deus, meus ouvidos à percepção dos apelos dos mais necessitados que vivem mergulhados no erro e na ignorância. Torna-me mais compreensível as suas limitações e deficiências. Espírito de Deus, faze ecoar no mais profundo do meu ser a tua voz esclarecedora e amiga, que me indique o caminho certo, nos momentos decisivos de minha vida. Só tu podes orientar-me com perfeição. Dá-me sempre, Espírito de Deus, a linguagem do amor, traduzida em gestos concretos e não apenas em palavras bonitas, diante das exigências superiores da solidariedade humana. Amém.
Canto:
Introdução: A Consagração ao Sagrado Coração não é a simples leitura de uma fórmula feita uma ou mais vezes durante o ano e depois deixada no esquecimento, sem compromisso nenhum, não é também um gesto de entusiasmo momentâneo por Jesus, talvez o fruto de uma hora de adoração, mas é o ato supremo de dedicação e de amor que nos une para sempre a Jesus. Trata-se de união que envolve o coração, a mente e toda a pessoa. Assim, a mente e o coração estão continuamente voltados ao Coração de Jesus e são penetrados e embebidos pelo seu amor; e todas as potências físicas tendem a realizar a união com Ele de modo sempre mais íntimo e pleno. Conseqüentemente, a Apóstola que consagra toda a sua vida ao Sagrado Coração não vive mais só, não pertence mais exclusivamente a si mesma, mas vive, momento por momento, no e com o Sagrado Coração, tornando-se “sua propriedade”. O divino Coração passa a ser o objeto dominante dos pensamentos, dos desejos e dos atos de amor da Apóstola, de modo que entre dois corações estabelece-se uma comunhão afetiva e efetiva, a Apóstola atinge identificação com Jesus e desaparece nele, como afirma São Paulo: “Já não sou que vivo, mas é Cristo que vive em mim.” Esta é também a suprema aspiração de Clélia que anela à perfeita união como seu Amado: “... nesta união encontrarei minha alegria, minha felicidade (...). Fazei (Jesus) que eu morra ao mundo, às minhas paixões, a mim mesma, e viva totalmente de vossa vida e de vosso amor.

Leitor 1:  “Só acreditando é que a fé cresce e se revigora; não há outra possibilidade de adquirir certeza sobre a própria vida, senão abandonar-se progressivamente nas mãos de um amor que se experimenta cada vez maior porque tem a sua origem em Deus.”  (Porta Fidei – 7)
Em sintonia com a Palavra de Deus:: Mt 6, 25-34
Palavras da Madre Fundadora: “Como, filhas amadíssimas, caístes no relaxamento?... Não vos consagrastes a um Deus Crucificado? Não sois todas Irmãs no Divino Coração de Jesus? União, pois, e Caridade fraterna, minhas queridas. Sem caridade, os Institutos se dissolvem, em vez de desenvolver-se e florescer... Examinai a consciência, e proponde seriamente corrigir-vos, se não quiserdes chorar inutilmente, e tarde demais. Ai, daqueles que perturbam a paz, tão cara ao Coração de Jesus! Ele não poderá dirigir para vós seu olhar de complacência. E, o que será de vós, se Ele vos abandonar? Pensamento terrível, que deveria suscitar em todas um propósito firme e decidido de reavivar os laços de uma verdadeira e santa caridade cristã. Com estes pensamentos vos deixo, para que medites seriamente nas palavras de vossa afeiçoadíssima Madre.” (Ant. Esp. p.93, Mg.II, pp.78-79)
Oração final (ver a oração para todos os dias -  primeiro dia)

Canto final
6º dia: Com Madre Clélia permanecer na Escola do Amor para aprender a PERSEVERANÇA
Ó Espírito Santo
Dai-me um coração grande, aberto a vossa silenciosa e forte palavra inspiradora; fechado a todas as ambições mesquinhas, alheio a qualquer desprezível competição  humana; compenetrado do sentido da Santa Igreja!  Um coração grande, desejoso de se tornar semelhante ao Coração de Jesus!  Um coração grande e forte para amar a todos, para servir a todos, para sofrer por todos!  Um coração grande e forte para superar todas as provações, todo o tédio, todo o cansaço, toda a desilusão, toda a ofensa!  Um coração grande e forte, constante até o sacrifício, quando for necessário.  Um coração cuja felicidade é palpitar com o Coração de Cristo, e cumprir humilde, fiel e virilmente a vontade do Pai. Amém.  (Paulo VI)

Canto:
Introdução: É uma chaga de amor. É uma porta estreita. O Evangelista João, fazendo referência ao particular do golpe de lança em Jesus crucificado escreve: “Um dos soldados abriu-lhe o lado com uma lança, e imediatamente daí saiu sangue e água.” Por que tanta importância a um particular que poderia ter passado despercebido? Certamente é para sublimar a riqueza espiritual do próprio particular. Também Santo Agostinho, esclarece que o evangelista não usou o verbo “ferir”, mas “abriu”. Na realidade o verbo grego corresponde ao texto original, que significa abrir, furar, fazer uma brecha. O evangelista usou uma palavra cuidadosamente escolhida, porque era um tesouro escondido. Aquele que nos deveria ser manifestado, a lança nô-lo revelou.
Leitor 1: Para chegar àquele “tesouro” e possuí-lo é necessário entrar. Quem está disposto a entrar deve despojar-se, deixando fardos, quinquilharias, coisas embaraçosas, supérfluas, inúteis. É preciso deixar tudo para entrar, como uma esposa na casa, livre, só, disponível para receber amor e dar amor. Que deixar antes de transpor a porta daquela Chaga? O “eu”, o amor próprio, afetos terrenos, sonhos, ideais humanos, temores, complexos...
Em sintonia com a Palavra de Deus: Efésios (6, 13-18)
Palavras da Madre Fundadora: “Nos dias de provação, reanima a tua confiança. Deus prometeu seu auxílio à perseverança na oração; e a perseverança não pode existir, senão quando Deus demora em conceder-nos as graças. Fala assim com Jesus: “Sim, meu Deus, só porque demorais em atender-me, eu espero que vireis em meu auxílio; e, quanto mais me sinto rejeitada, tanto mais me entregarei com ardor confiante nos vossos braços paternos.” (Ant. Esp. p. 251; Mg.,I, p.6)
Oração final  (ver a oração para todos os dias -  primeiro dia)
Canto final

7º dia: Com Madre Clélia permanecer na Escola do Amor para aprender a MISERICÓRDIA
Invocação ao Espírito Santo
Ó Amor Eterno, a minha alma te busca e é a ti que elege para sempre.  Vinde, Santo Espírito, e acendei no coração dos fiéis a vossa dileção. Ou amar ou morrer! Morrer e amar! Morrer para todos os amores e viver só para o de Jesus, para não morrermos eternamente. Assim vivendo para o vosso eterno amor, ó Salvador das nossas almas, cantaremos eternamente: Viva Jesus! Amo Jesus! Amo Jesus, que vive e reina pelos séculos dos séculos. Amém.    (São Francisco de Sales)
Canto:
Introdução: Jesus é o Mestre. Todos temos necessidade de um guia para viver, para crescer, para aprender. Todos temos necessidade do Mestre divino que como afirma Santo Agostinho, é o Mestre interior. Ele comunica aos seus “discípulos” suas lições de amor. Tratando do relacionamento pedagógico “mestre-discípulo”, compreende-se que não é suficiente um encontro qualquer entre eles, mas do discípulo se exige ficar, permanecer, morar no e com o Mestre. É Jesus mesmo que exige: “Permanecei no meu amor.” Permanecer supõe uma vivência prolongada no Amor, para saboreá - lo com todas as fibras do próprio ser. Para assimilá - lo e para deixar-se transformar, supõe, portanto, um aprofundamento no conhecimento experimental, na intimidade, na amizade.
Leitor 1: Portanto, ao amor que Jesus exprime e ensina a quem aceita entrar em seu Coração e a amizade que ele oferece, exigem do “discípulo” conjugar com a própria vida o verbo permanecer. E “permanecer” supõe o empenho de “ crer no Amor”, isto é, abandonar-se ao amor, entrar e viver nele, deixar-se como que envolver e penetrar em todas as dimensões do físico e do espírito pela realidade do amor, pela certeza de que o Mestre “ me “ ama
Em sintonia com a Palavra de Deus: Lc 10, 25 – 37
Palavras da Madre Fundadora: “Lembra-te, filha, que jamais Jesus fez alguém sofrer; viveu sobre esta terra fazendo o bem e mostrando a todos a doçura e a bondade de seu Coração. Aprende de Jesus a amar tuas queridas coirmãs. Por seu amor, tu deves estar disposta a suportar qualquer erro e injúria, perdoando sempre, e estando sempre disposta a qualquer sacrifício, para o bem de cada uma. Se entre vós houver gelo e frieza, derrete-o com amor e santa caridade.” (Ant. Esp. p.81, Mg.I, p.9)
Oração final (ver a oração para todos os dias - primeiro dia)
Canto final
8º dia: Com Madre Clélia permanecer na Escola do Amor para aprender a PACIÊNCIA
Invocação ao Espírito Santo
Vinde, Espírito Santo, e enviai do céu um raio de vossa luz.  Vinde, Pai dos pobres, vinde doador das graças, vinde luz dos corações.  Ó ótimo consolador, doce hóspede das almas, suave refrigério.  Repouso nos trabalhos, sossego nas aflições, consolo no pranto.  Ó luz abençoada, vinde encher o íntimo dos corações de vossos fiéis.  Sem a vossa força, nada há em nós que não seja nocivo.  Lavai o que está sórdido, regai o que está árido, curai nossas feridas. Dobrai o que é rígido, aquecei o que está frio, guiai o que está transviado.  Concedei a vossos fiéis, que em vós esperam, vossos sete dons.  Dai-nos o mérito da virtude, a felicidade da salvação e o perene gozo do céu. Amém.
Canto:
Introdução: O primeiro biógrafo de Madre Clélia, procurando expressar, de forma compreensível a nós, a experiência de união com Deus, assim, se expressa: “Sua alma se exalava numa oração fervorosa e incessante”. Depois da suspirarão volta a casa Mãe. Continuou, com ritmo acentuado, sua vida de imersão em Deus... Feliz pela proximidade de Jesus sacramento, tornou-se assídua Adoradora; freqüentemente passava do quarto ao Coro para saudá - lo”.
Leitor 1: Quando ela se dispõe a rezar, como primeira medida, toma logo consciência de uma presença, da Divina Presença, que sente próxima, íntima, familiar, confiante. Assim, de modo lento e sereno, inicia um “tu a tu”, um face a face” que afasta todo receio e preocupação e abre o coração a uma confidência plena e ilimitada, como entre amigos. Clélia conhece bem o seu Jesus e se sente reconhecida por Ele. Ama-O intensamente e se sente amada por Ele. Jesus para ela é uma presença de amor, íntima, sempre acessível ao Coração ; por isso, todo lugar é bom para encontrá-Lo e estar com Ele
Em sintonia com a Palavra de Deus: Mt 13,24 -30
Palavras da Madre Fundadora: ”Pede a Jesus que fale sempre à tua alma. Asseguro-te, minha filha, que sua voz te instruirá mais em um só dia do que as escolas dos sábios em muitos anos. Não hesites mais, minha filha, em recolher santamente tua mente e teu espírito, conservando-te na presença de Deus. Pede-lhe, suplica-lhe, roga-lhe com insistência, a exemplo da Cananéia, não só que te fale, mas te faça saborear a suavidade de sua voz paterna. Posso garantir-lhe que, se fores, aos poucos, fiel à sua voz, não conseguirás mais viver longe Dele, contanto que teu coração e todas as tuas faculdades mentais, permaneçam a Ele unidos.” (Ant. Esp. p.50, Mg.I, p.93)
Oração final (ver a oração para todos os dias - primeiro dia)
Canto final

9º dia: Com Madre Clélia permanecer na Escola do Amor para aprender a GRATIDÃO
Consagração ao Divino Espírito Santo
Ó Espírito Santo, divino Espírito de luz e de amor, eu vos consagro a minha inteligência, o meu coração e a minha vontade, todo o meu ser, no tempo e na eternidade.  Que a minha inteligência seja sempre dócil às vossas celestes inspirações e à doutrina da Santa Igreja Católica, de que sois guia infalível.
Que o meu coração seja sempre inflamado do amor de Deus e do próximo.  Que a minha vontade seja sempre conforme a vontade divina, e que toda a minha vida seja uma imitação fiel da vida e das virtudes de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, a quem, com o Pai e conosco, sejam dadas honra e glória para sempre. Amém.
Canto:
Introdução: “Tu, filha, deves seguir este movimento e vocação divina, tu deves seguir, esperando o impulso do Espírito Santo, para que... resolutamente, com olhos fechados, possas atira-te no mar desta Providência divina e do beneplácito eterno, pedindo que se faça em ti e te tornes de tal modo... transportada ao porto de tua própria perfeição e salvação.
Depois, naquela que se abandona à confiança, o amor faz lentamente estrada. É o amor divino, não humano, é um amor que passa do Coração de Deus ao Coração de Madre Clélia, do Coração de Jesus ao Coração das Apóstolas. É um amor exigente: onde chega purifica, cultiva , fecunda; requer sempre mais espaço e disponibilidade, pede uma resposta crescente em generosidade . Esta é a dinâmica do amor que não conhece níveis padronizados, mas impulsiona ao sempre mais. Assim, Madre Clélia ama e amará mais. Encontrou Jesus e é levada a buscá- Lo ainda mais. Ela está dentro, no Coração de Jesus e deve tender a avançar numa maior profundidade. Vive e respira o amor e quer vivê-lo ainda mais intensamente. Sua vida toda é um saborear Jesus no seu íntimo, de modo pleno e beatificante e, ao mesmo tempo, é um esperá-Lo, momento por momento, instante por instante.
Leitor 1: E, na certeza de que Jesus esperado vem, ela pode bem incentivar sua filhas a responderem com prontidão ao Amor e a tomar lugar no Coração de Jesus: “Quem conhece melhor do que Ele aquilo de que tendes necessidade? Quem vos amou e vos ama mais do que o Adorável coração? Depositai, pois, naquele Coração, e com plena confiança, todos os vossos temores, todas as vossas ansiedades; rezai, comungai com fervor...”

Em sintonia com a Palavra de Deus:: Lc.17,11-19
Palavras da Madre Fundadora: “É preciso amar a Deus, porque não amá-lo é tríplice pecado: pecado de desprezo, porque Deus e suas perfeições merecem infinitamente todo o amor de nossos corações, o que não... merecem todas as criaturas juntas, pecado de injustiça, porque, não podendo viver sem amar, somos injustos quando amamos mais as criaturas do que o Criador, preferindo, assim, o finito ao infinito, o nada ao tudo, poucos reflexos de bondade e beleza, que existem nas criaturas,  à bondade e à beleza sem limites, absolutas, que há em Deus; pecado de ingratidão, porque tudo recebemos de Deus e nada das criaturas, a não ser alguns bens que Deus lhe concedeu.” (Ant. Esp. p.71, Mg.I, pp.14-15)
Oração final (ver a oração para todos os dias - primeiro dia)
Canto final

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...