Missão

O amor de Cristo nos impulsiona! (2 Cor 5,14)

Oh, quanto seria feliz, filhas, se vos visse animadas de santo zelo..., um ardente desejo de espalhar- vos por toda a terra, para fazer, em toda parte, amar e louvar o Senhor, dizendo, vós também, com São Francisco Xavier: ‘Enquanto souber que, num ângulo do mundo, Deus não é amado não repousarei um só minuto! ‘ “ ( Madre Clélia Merloni).

Nossa venerada fundadora, a Serva de Deus Madre Clélia Merloni, nasceu em Forli, na Itália, no dia 10 de março de 1861, poucos dias antes da proclamação da unidade da Itália, em um contexto social assinalado por inúmeros problemas de caráter religioso, cultural e econômico.

Espírito missionário
Impulsionada por um ardente amor a Deus, atenta e sensível aos desafios do seu tempo, Madre Clélia Merloni fundou, em 1894, uma nova congregação a serviço da Igreja local e universal. As primeiras Apóstolas do Sagrado Coração de Jesus iniciaram sua missão na cidade de Viareggio, na Toscana, e difundiram o amor de Cristo pela caridade para com os pobres e pela atividade educativa.
Em 1900, ano de aprovação do Instituto religioso nascente, a fundadora enviou as primeiras irmãs missionárias para socorrer os imigrantes italianos, no Brasil distante. Logo depois, as Apóstolas acolheram, de boa vontade, o convite da Igreja para desenvolver a sua missão em outros países; algumas missionárias partiram para os Estados Unidos e, sucessivamente, para a Argentina. Desde então, nunca faltaram o espírito missionário das origens do Instituto e a total disponibilidade ao serviço da Igreja. Hoje, nossas Irmãs atuam em quinze países: na Europa, América, África e Ásia.

A vida consagrada e as missões
João Paulo II, beatificado no dia 1º de maio de 2011, na magistral encíclica Redemptoris Missio ( RM), incentivou os Institutos de vida consagrada a oferecer sua contribuição á ação missionária da Igreja, conforme o próprio carisma, nos “ imensos espaços da caridade, do anúncio evangélico, da educação cristã, da cultura e da solidariedade para com os pobres, os discriminados, os marginalizados e oprimidos “  ( RM 69).
Bento XVI também lembra que “ a vida consagrada resplandece, em toda a história da Igreja, pela sua capacidade de assumir explicitamente o dever do anúncio e da pregação da palavra de Deus, na missio ad gentes e nas situações mais difíceis, mostrando disponibilidade também para as novas condições de evangelização, empreendendo com coragem e audácia novos percursos e novos desafios para o anúncio eficaz da palavra de Deus “ ( Verbum Domini 94).
As Apóstolas do Sagrado Coração de Jesus, chamadas a reevangelizar a vida pessoal e comunitária para serem ícones credíveis da beleza de Deus ( cf Prioridade do 16º Capitulo Geral), são sensíveis aos insistentes apelos de seus pastores. Espalhadas pelo mundo, estão unidas pelo único ideal de amar e fazer amar a Deus, que manifesta o seu infinito amor no Coração misericordioso de seu filho Jesus.
Madre Mary Clare Millea

“... não repousarei um só momento”

Deus pai enviou seu filho ao mundo para proclamar, por palavras e ações, o advento do reino de Deus. Com a sua vida, morte e gloriosa ressurreição, Jesus realizou plenamente o plano divino de salvação. Ele se ofereceu, livremente, á paixão e morte por amor aos homens, pois Deus quer que todos sejam salvos. Do coração transpassado de Cristo na Cruz nasceu a Igreja, sinal e instrumento de salvação para toda a humanidade. O Espírito Santo ilumina e santifica a Igreja, para que continue a obra redentora do salvador e cumpra o mandato missionário: “Ide, portanto, e fazei que todas as nações se tornem discípulos, batizando-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo” ( Mt 28,19).
A missão ad gentes, que Jesus entregou e ainda confia á Igreja, é primordial, essencial e jamais concluída. Está voltada, principalmente, àqueles que ainda não conheceram a Boa Nova. A ação pastoral da Igreja realiza-se, sobretudo, nas comunidades cristãs fervorosas na fé, autênticas testemunhas do Evangelho e dotadas de adequadas e sólidas estruturas eclesiais. A Igreja se esforça, além disso, em realizar uma séria reevangelização, junto aos indiferentes e apáticos, que perderam o sentido cristão da vida ( cf RM 31-34).


Espírito apostólico
O Instituto das Apostolas do Sagrado Coração de Jesus, pela força do seu carisma, dedica-se, de modo especial, à ação missionária da Igreja. Na contemplação do Coração de Jesus transpassado
na Cruz, Madre Clélia descobriu na imensa caridade de Cristo, que a levou a ser “ Apóstola como Apóstolos” e a delinear um programa de evangelização para as suas filhas; “ Aprendamos a ser apóstolas não só no nome, mas no verdadeiro espírito dos apóstolos “. Aberta ás necessidades de seu tempo, Madre Clélia não hesitou em enviar suas filhas ás distantes Américas para apoiar os imigrantes italianos na vivência da fé. Hoje, seguindo o exemplo e o zelo missionário da nossa fundadora, as Apóstolas atuam em várias nações do mundo.

Alívio em um “vale de lágrimas”
A mais recente missão ad gentes, na qual o Espírito santo nos enviou para servir o povo de Deus sofrido por causa das catástrofes naturais, foi em Porto Príncipe, capital do Haiti. Lá, encontramos o “ rostos transfigurado “ de Cristo em tantos rostos sofridos por causa da perda dos entes queridos, das próprias casas e da miséria que reina em todo país. Quanta gente precisa do amor, da ternura, da compaixão e da misericórdia do Coração de Cristo!Como “Apóstola como os Apóstolos”, com um carisma voltados ao Amor e à Reparação, queremos ser estes “reflexos” da ternura do Coração de Jesus, como desejou a nossa fundadora, Madre Clélia, e trabalhar para a reconstrução e promoção da dignidade humana deste povo tão sofrido.
Foi a “Caridade do Coração de Cristo que nos impulsionou” a ir para o Haiti!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...