sábado, 22 de outubro de 2011

Reflexão

GFASC  - Sétima Reflexão

Reevangelizar a vida familiar para ser “ícone” credível da beleza de Deus.

Família – Pequena Igreja da fé



Catecismo da Igreja Católica

§2201 A família no plano de Deus NATUREZA DA FAMÍLIA A comunidade conjugal está fundada no consentimento dos esposos. O casamento e a família estão ordenados para o bem dos esposos, a procriação e a educação dos filhos. O amor dos esposos e a geração dos filhos instituem entre os membros de uma mesma família relações pessoais e responsabilidades primordiais.

§2203 Ao criar o homem e a mulher, Deus instituiu a família humana e dotou-a de sua constituição fundamental. Seus membros são pessoas iguais em dignidade. Para o bem comum de seus membros e da sociedade, a família implica uma diversidade de responsabilidades, de direitos e de deveres.

§2363 Pela união dos esposos realiza-se o duplo fim do matrimônio: o bem dos cônjuges e a transmissão da vida. Esses dois significados ou valores do casamento não podem ser separados sem alterar a vida espiritual do casal e sem comprometer os bens matrimoniais e o futuro da família.


Palavra de Deus
Então Deus os abençoou e lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos; enchei a terra e sujeitai-a; dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu e sobre todos os animais que se arrastam sobre a terra.

Goza a vida com a mulher que amas, todos os dias da tua vida vã, os quais Deus te deu debaixo do sol, todos os dias da tua vida vã; porque este é o teu quinhão nesta vida, e do teu trabalho, que tu fazes debaixo do sol.

1 Timóteo 3 : 5
Porque, se alguém não sabe governar a sua própria casa, terá cuidado da Igreja de Deus?

1 Timóteo 5 : 4
Mas, se alguma viúva tiver filhos, ou netos, aprendam primeiro a exercer piedade para com a sua própria família, e a recompensar seus pais; porque isto é bom e agradável diante de Deus.

Porque o reino dos céus é semelhante a um homem, pai de família, que saiu de madrugada a assalariar trabalhadores para a sua vinha.

Madre Clélia

“(...) Meus filhos, não basta não causar dano ao próximo; é preciso fale-lhe o bem, alegrar-se com a sua felicidade e penalizar-se com seus sofrimentos e dores, como se tudo tivesse acontecido com você. Deve interessar-se com caridade e selo por tudo que lhes diz respeito, especialmente por aquilo que concerne a sua salvação eterna; alegre-se com as graças que recebe; considerar-se feliz quando lhe é dado fazer algum sacrifício para o bem deles. Examine-se seriamente e veja se descobre ressentimento ou aversão contra alguém. Quando o coração deve agir contra a natureza para praticar o bem, é justamente então que lhe dá maior glória a Deus. Imite Jesus nos sentimento, nas atitudes e nas palavras. Lembre-se que Jesus jamais fez alguém sofrer; viveu neste mundo fazendo o bem e mostrando a todos a doçura e a bondade do seu coração. Se entre vocês existir gelo e frieza, procure derrete-lo com amor e santa caridade”

“Não nos devemos perturbar e cair no desalento; não nos devemos dobrar e ceder sobre os golpes da desventura. Nossa fé deve ser maior do que qualquer outra pessoa; em nós ela deve resplandecer e brilhar; graças a ela, não é real nossa separação, mas apenas aparente. Estaremos separadas somente com o corpo; os nossos corações estarão constantemente unidos. Oh filhas! A oração nos manterá perpetuamente unidos; ela é o único vinculo que reata e estreita os espíritos entre si” (Antologia  Mg., II, p. 79 80).

PARTILHA: (Uma pequena reflexão e partilha  no grupo).

1-     Em minha família, o que nos fortalece na fé?
2-     Como cristão, não posso pensar apenas em mim. Logo, o que minha família pode fazer de concreto para fortalecer os demais na virtude da fé?


VIVÊNCIA PARA A FAMÍLIA:
Para ser testemunha da fé em nossa família nos empenharemos diariamente em viver:
_____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

Pedimos a Jesus a graça: 
______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________




Envie sua reflexão. Com certeza sua partilha ajudará outros a descobrirem a Beleza de Deus.

Grande Família do Sagrado Coração –Av. Visconde de Guarapuava,4747, 80.240-010 Curitiba PR
Tel: (41) 8418-2548: e-mail: gfascpr@gmail.com ; http://gfascpr.blogspot.com





GFASC  - Sexta Reflexão

Reevangelizar a vida pessoal para ser “ícone” credível da beleza de Deus

Respondendo a Vocação Batismal – Ser Santo.

Catecismo da Igreja Católica

941 Os leigos participam do sacerdócio de Cristo: cada vez mais unidos a ele, desenvolvem a graça do Batismo e da Confirmação em todas as dimensões da vida pessoal, familiar, social e eclesial, e realizam assim o chamado à santidade, dirigido a todos os batizados.

942 Graças à sua missão profética, os leigos “são chamados a serem testemunhas de Cristo em tudo, no meio da comunidade humana”.

943 Graças à sua missão régia, os leigos têm o poder de vencer o império do pecado sobre si mesmos e sobre o mundo, pela sua abnegação e pela santidade da sua vida.

2045 Por serem os membros do Corpo cuja Cabeça é Cristo, os cristãos contribuem pela constância de suas convicções e de seus costumes para a edificação da Igreja. A Igreja aumenta, cresce e se desenvolve pela santidade de seus fieis, até que “alcancemos todos nós o estado de homem perfeito, a medida da estatura da plenitude de Cristo”. (Ef4, 13)

2227 Os filhos, por sua vez, contribuem para o crescimento de seus pais em santidade. Todos e cada um se darão generosamente e sem se cansar o perdão mútuo exigido pelas ofensas, as rixas, as injustiças e os abandonos. Sugere-o a mútua afeição. Exige-o a caridade de Cristo.


João 6,67-69
67 Então, disse Jesus aos Doze: “Não quereis também vós partir”? 68Simão Pedro respondeu-lhe: “Senhor, a quem iremos? Tens palavra de vida eterna e 69nós cremos e reconhecemos que tu és o Santo de Deus”.

Romanos 6, 20-23

20 Quando éreis escravos do pecado, éreis livres em relação à justiça. 21E que fruto colhestes então daquelas coisas que agora vos envergonhais? Pois seu desfecho é a morte. 22Mas agora, libertos do pecado e postos a serviço de Deus, tendes vosso fruto para a santificação e, como desfecho, a vida eterna. 23 Porque o salário do pecado é a morte, e a graça de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor.

I Tessalonicense 4, 3-7
3Porquanto, é esta a vontade de Deus: a vossa santificação, que vos aparteis da luxúria, 4que cada qual saiba tratar a própria esposa com santidade e respeito, 5sem se deixar levar pelas paixões, como os gentios, que não conhecem a Deus. 6Nessa matéria ninguém fira ou lese a seu irmão, porque o Senhor faz justiça de todas estas coisas, como já vos temos dito e assegurado. 7Pois Deus não nos chamou para a impureza, mas sim para a santidade.

I Coríntios1, 1-3
1Paulo chamado a ser apóstolo de Cristo Jesus por vontade de Deus, e o irmão Sóstenes, 2à Igreja de Deus, que está em Corinto, àqueles que foram santificados em Cristo Jesus, chamados a ser santos, com todos os que, em qualquer lugar que estejam, invocam o nome de nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor deles e nosso. 3Graça e paz a vós da parte de Deus nosso Pai e do Senhor Jesus Cristo!

Madre Clélia Merloni

“... desejando a plenitude da perfeição, deves fazer um esforço contínuo sobre ti mesmo para vencer... e eliminar todas as vontades, grandes ou pequenas que sejam.
É preciso que teu espírito esteja preparado para a luta, pois só os que combatem com ardor merecem a coroa da vitória”.  (Antologia 1.2  M p,pp.56-5).

“Se queres tornar-te realmente santa como Jesus deseja, deves nisto empenhar todo o teu ardor e o nobre entusiasmo de que és capaz; ... nada te pertença, mas tudo o que realizas seja unicamente para a glória de Deus.
Esquece o bem que podes ter feito, e atira-te generosamente para a santidade que ainda não alcançaste”. (Antologia 1.2 Mg., I p.4).

“ Não sejas indolente na busca do teu aperfeiçoamento: coloca todo o ardor e o nobre entusiasmos de que és capaz. A chama do santo amor te envolva totalmente e penetre todos os refolhos do teu coração, para não deixar subsistir nada que não seja para a glória e honra de Deus”. (Antologia 1.4,Mg.,II  p.180).

“Consagrando-se a Deus, desde a mais tenra idade, Maria nos ensina a não adiar o trabalho de nossa perfeição. Parece-nos, ao invés, que a coragem virá depois, as circunstâncias serão mais propícias.
(...) Não adiemos, portanto, de um dia para outro, o cumprimento deste sagrado dever que nos obriga à santidade, sempre e em todas as ações da vida. Comecemos hoje mesmo a vida na qual queremos morrer”. (Antologia 1.6,Mg.II  p.168).

PARTILHA: (Uma pequena reflexão e partilha no grupo).

1-     Tenho consciência que pelo batismo sou chamado a ser santo?

2-     Que atitudes me ajudam a desenvolver a santidade no meu dia-a-dia?



VIVÊNCIA:
Para me exercitar na santidade de vida, me empenho em viver:
_____________________________________________________________________________________________________________________________________________


Peço a Jesus a graça: 
_____________________________________________________________________________________________________________________________________________


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...