domingo, 28 de agosto de 2011

Espiritualidade

ESPIRITUALIDADE DO SAGRADO CORAÇAO DE JESUS
ANOTAÇÕES DA CONFERÊNCIA PROFERIDA POR PADRE MARCIAL MAÇANEIRO
Bauru, 19 de setembro de 2009


A Espiritualidade do Sagrado Coração de Jesus tem sua fonte bíblica e não nasce com Santa Margarida Maria Alacoque ou com o Apostolado da Oração, mas, brota da experiência pascal.

Texto: Jo 19,31-37: João fala de um olhar sacramental e não de um olhar histórico (a morte de Jesus é um fato que se deu por volta dos anos 30), mas, para João o golpe da lança do soldado é um sinal que manifesta a graça de Deus. João escreveu o 4.º Evangelho por volta do ano 90, ou seja, 60 anos depois da morte de Jesus. Revela sua sabedoria lembrando que a comunidade joanina era uma comunidade de discipulado. João viu, percebeu e acreditou... João viu em Jesus o Cordeiro Pascal.
Em Jô - 19,37 João usa o verbo contemplar no imperativo: olhem bem esta cena, fixem nela o olhar, aí - no Lado Aberto de Cristo - está a síntese do Evangelho. Antes, porém, lembramos que no tempo de Jesus, apenas o Sumo Sacerdote da tribo de Levi, poderia entrar, uma vez ao ano no Santo dos Santos - lugar secreto e por ocasião da festa Yon Kipur. Um texto paralelo a este é Ezequiel 34-36: o profeta fala do altar do qual jorra água viva. João vê no Lado Aberto o novo templo. Agora (a Hora - Cruz - glorificação) se cumpriu toda a Escritura (Antigo Testamento). O templo de Deus é o Verbo encarnado: Deus se encarna com um corpo amoroso e sua morte não é vã.

Do século I ao século XIII: não se falava do “CORAÇÃO” (liturgia, Bíblia e misericórdia)

Os primeiros séculos tratam da espiritualidade da procura do mistério: “tesouro escondido” - atrás deste véu havia o coração. O Lado Aberto é a porta de acesso através da qual todos podiam entrar.
Que significa buscar os tesouros do Coração de Jesus? Significa contemplar os seus mistérios: passar da devoção à adoração, da homenagem ao discipulado...
Quais são os mistérios (tesouros) que o Lado Aberto de Cristo nos revela?
Partamos da Ceia: só os discípulos mais próximos de Jesus estavam presentes e ainda mais próximo estava o discípulo amado, JOÃO. Portanto, a espiritualidade do SCJ é uma experiência de discipulado.
Os sinóticos revelam o que Jesus ensinou, mas, João revela-nos a Pessoa de Jesus. Ele possuía uma relação afetiva e por isto escutou os segredos de Jesus:
  1. O Verbo se fez carne Jo 1,14
  2. Afeto de Aliança: Jo 10 - Eu sou o Bom Pastor - Afectus et efectus: o amor cria vínculos e Jesus o faz com suas obras de misericórdia
  3. Espírito: Jo 7,37 - Do seu seio (koilia = coração) brotarão rios de água viva: Espírito Santo. João não narra Pentecostes como os sinóticos - ele diz em Jo 19,30: Entregou o Espírito. Adão recebe o sopro de Deus, no Jardim do Edén e Jesus entrega o seu Espírito, no Jardim de Getsêmani.
  4. A Filiação de Jesus
  5. O Filho amado revela o Pai
  6. Amizade: Chamei-vos amigos - Jo 15,15 - que diferença há entre servo, discípulo e amigo? O servo trabalha de graça, o discípulo pagava para ter lições com o mestre e o amigo... Jesus se fez servo ao lavar os pés - Jo 13 porque os amou até o extremo. O amigo, em sentido bíblico, era aquele que acolhia o peregrino, com generosidade, em sua Tenda. Diante destes gestos, o peregrino chama o Senhor da Tenda de amigo. Jesus nos deixa entrar na tenda (seu Coração Ferido) e ali nos revela seus preciosos segredos/tesouros. Ele é o maior amigo!
  7. Eucaristia: é mistério, é festa, é presença, é ceia, é missão. Jesus sempre se colocava à mesa: em Betânia, no Cenáculo, com os discípulos de Emaús, na praia junto aos discípulos, já ressuscitado ele pede peixe...

CANTO: Chagas abertas, ó Coração Ferido, sangue de Cristo, és nosso eterno amigo.

Portanto: a espiritualidade do Coração de Jesus é cristocêntrica. A encíclica Haurites Acqua trata esta temática da espiritualidade do Coração de Jesus como a síntese de todas as espiritualidades. Amar o S. C. de Jesus é trilhar um caminho de discipulado. Ele deve formar e transformar o coração de pedra num coração de carne. (Ez 36, 25-28)
Eu vos darei um coração novo e infundirei sobre vós o meu Espírito. Jo 19 - o tempo verbal, no futuro, quer lembrar a profecia que se cumpre em Jo 19 e em cada batizado.
Corpo X cadáver         corpo: animado pelo Ruah; é o vivente.
                                   Cadáver: corpo sem espírito
                                    Respiração - fôlego - sopro – ruah

Jo 21 - Eu serei o vosso Deus e vós sereis o meu povo è aliança / reciprocidade
Os deuses casavam-se com as deusas, mas, o Deus bíblico “esposou-se” com o Povo Eleito, o Povo de Israel, o Povo da Aliança.
Eis o Coração transpassado: é aberto, não fechado em si mesmo

I Jo - o que vimos, ouvimos, tocamos... por isso damos testemunho...

Filipenses - ter os mesmos sentimentos de Cristo

A partir do século XIII: Bernardo de Claraval, Gertrudes de Helfta...

SÉCULO XV - jansenismo: o medo da comunhão afasta o povo da liturgia, rigorismo religioso

São João Eudes
Santa Margarida Maria Alacoque è Cláudio de la Colombiere è retorno à comunhão
(primeira sexta-feira è lembra a Paixão, o Lado Aberto de Cristo: sacramento do amor)

1800 - 1900 : Revolução Francesa: os reis Luis XV e Napoleão eram tiranos, pregava-se o iluminismo... Nasce a dimensão social e política: Movimento Social Cristão è Partido Democrata Cristão
Situação de fome e miséria X os reis querem ser coroados...
Dá-se início a entronização do S. C. Jesus e os ostensórios são envolvidos por raios è em contrapartida à dominação dos reis temporais, é uma reação à toda forma de opressão
Este contexto exige reparação: com o declínio dos princípios da Revolução Francesa, surge uma reforma social. Os cristãos dão um sentido espiritual à reparação: adoração ao Santíssimo nas sextas-feiras e prática da caridade: porque era o dia dos bailes, orgias, pecado.
- Por que comungar e reparar hoje?
ü       Pela essência da eucaristia - comungar com qualidade e sempre
ü       Comunhão è reparação è caridade: restaurar a imagem de Deus ferida no irmão (dimensão prática: gestos de misericórdia)
ü       Reparação: oração: Ato de união: com Cristo, por Cristo... e práticas de amor para restaurar o homem decaído à reparação: recapitulação, restauração, cura do homem ferido, práticas de misericórdia.

Expansão da devoção ao Sagrado Coração de Jesus - na França e no Norte da Itália: Dom Bosco, Leão de Dehon, Vicentinos, Madre Clélia...

REZAR:
Sagrado Coração de Jesus, humilde e manso, fazei o meu coração semelhante ao vosso...
Sagrado Coração de Jesus, (acrescentar o que você deseja alcançar...)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...