sábado, 6 de outubro de 2012

Homilia dominical - 07 de outubro de 2012

A Família que Deus quer

Vivemos num tempo em que os Valores da família
são por muitos ignorados ou esquecidos.

As leituras falam da dignidade do Matrimônio cristão,
dentro do maravilhoso PLANO DE DEUS...

A 1a leitura apresenta Deus criando o Homem e a Mulher,
para se completarem, para se ajudarem, para se amarem. (Gn 2,18-24)

O texto não é uma reportagem de fatos passados, mas uma CATEQUESE:

1) A Origem da vida e do homem está em Deus...

2) A solidão é uma experiência terrível para a pessoa humana.
- ADÃO, apesar de possuir o domínio sobre todas as criaturas,
não está plenamente realizado. Sente profunda SOLIDÃO.
Falta-lhe alguém com quem compartilhar a vida e a felicidade.
- DEUS preenche sua solidão, criando então a mulher,
dotada da mesma natureza e da mesma dignidade.
É na partilha de suas vidas no amor, que o homem encontra
a realização plena de sua existência.

3) Homem e mulher são iguais em dignidade.
Eles são "da mesma carne", partícipes do mesmo destino.
Completam-se um ao outro e juntos complementam a obra do Criador.
Esta realidade exige que homem e mulher se respeitem
e exclui qualquer atitude egoísta de dominação.

4) Unidade: "Se tornarão uma só carne" = uma só pessoa...
Uma fusão não apenas dos corpos, mas na sua totalidade: corpo e alma:
com seus projetos, seus sentimentos, seus ideais, suas tendências,
suas esperanças, suas amizades... SUA FÉ...

A 2ª Leitura lembra a "qualidade" do amor de Deus pelos homens. (Hb 2,9-11)

Deus amou tanto os homens, que enviou ao mundo o seu Filho único.
O Filho solidarizou-se com os homens, partilhou a debilidade deles
e aceitou morrer na cruz para dizer aos homens
que a verdadeira vida está no amor, que se dá até às últimas conseqüências.

* O casal cristão deve também testemunhar,
com a sua doação sem limites e com a sua entrega total,
o amor de Deus pela humanidade.

No Evangelho, Jesus é perguntado sobre o DIVÓRCIO
permitido pela lei de Moisés em certos casos,
para proteger a mulher das arbitrariedades do marido. (Mc 10,2-6)

- Cristo responde: Moisés permitiu por causa da dureza do vosso coração…
  Mas desde o começo da Criação, Deus os fez homem e mulher.

  Por isso, o homem deixará seu pai e sua mãe, e os dois serão uma só carne...
  Portanto, o que Deus uniu o homem não separe”. 
 
- Diante da posição do Mestre, os discípulos ficam perplexos...
- E Jesus conclui:

   "Quem despede sua mulher e se casa com outra, comete adultério"


* O Evangelho nos apresenta o projeto ideal de Deus
para o homem e para a mulher que se amam:
eles são convidados a viverem em comunhão total um com o outro,
dando-se um ao outro, partilhando a vida um com o outro,
unidos por um amor que é mais forte do que qualquer outro vínculo.  
O amor de um homem e de uma mulher que se comprometem
diante de Deus e da sociedade deve ser um amor eterno e indestrutível,
que é reflexo desse amor que Deus tem pelos homens.

O divórcio e a poligamia não fazem parte do projeto de Deus.
Jesus reafirma a unidade e indissolubilidade do matrimônio
e condena o divórcio e a poligamia.
- Numa época, em que muitos procuram destruir ou desfigurar a família,
é urgente proclamar o Plano de Deus sobre o Matrimônio e a Família.
Não é uma norma da Igreja, é Plano de Deus, reafirmado por Cristo.

+ O texto finaliza com uma referência às CRIANÇAS,
   as maiores vítimas de uma família fragmentada:

- As mães levam seus filhos até Jesus para que os abençoe.
- Os apóstolos impacientes tentam impedir…
- JESUS: "Deixai vir a mim as crianças. Não as proibais,
   porque o Reino de Deus é dos que são como elas…
   Ele abraçava as crianças e as abençoava, impondo-lhes as mãos".

* Os esposos não podem pensar só em si mesmos, esquecendo os filhos…
A Missão dos pais é repetir o gesto das mães israelitas:
levar seus filhos a Jesus, para que, abençoadas por ele e
crescendo na sua escola, conservem a inocência
e sejam um dia recebidas no reino dos céus, preparado para elas.

+ Nossa atitude para com os divorciados:         
- Acolher, integrar, compreender e ajudar aqueles a quem
   as circunstâncias da vida impediram de viver o projeto ideal de Deus.
- Sem renunciar ao "ideal", que Deus propõe e Jesus reafirma no Evangelho.

A felicidade de uma família só existe quando há COMUNHÃO:
- entre os esposos  - com os filhos e  - também com Deus

Rezemos para que nossas famílias sejam a família que Deus quer:
"Santuário da vida" e "Berço do Amor e da Fé".


                               Pe. Antônio Geraldo Dalla Costa - 07.10.2012

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...