sábado, 16 de junho de 2012

Homilia da Liturgia do domingo - 17 de junho de 2012



A LIÇÃO DA SEMENTE: DO APARENTE INSIGNIFICANTE, AO GRANDE, BELO E FORTE!
(Liturgia do XI Domingo do Tempo Comum)

As parábolas contadas por Jesus neste décimo primeiro domingo do tempo comum, nos convidam a abrir nossas mentes, corações e nossa vida toda a um belo, imprevisível e gratuito dom do Seu Reino e da Sua Palavra!
Jesus nos conta hoje duas parábolas e em ambas a protagonista é a semente que, com sua força cresce, dá seus frutos e torna-se uma grande árvore!
Poderíamos dizer que a característica principal dessas parábolas é a desproporção. Na primeira parábola, na verdade, temos uma desproporção entre as ações do agricultor que semeia e faz a colheita, e tantas ações que, ao contrário, a semente realiza. “A semente germina, cresce, produz fruto, faz surgir as folhas, a espiga e os grãos que enchem a espiga”.
Na segunda parábola temos, por sua vez, uma desproporção de medida entre a condição inicial do grão de mostarda, o menor entre todos, que se torna uma grande árvore, a maior de todas! 
Através das parábolas Jesus nos encoraja a acolher e a continuar a viver o Evangelho em nossa vida, não obstante as nossas debilidades e os nossos medos. O convite é, na verdade, para que busquemos sempre fazer frutificar a verdade de Sua Palavra em nossa própria história.
Ao observarmos os passos dados em nossa caminhada, ao olharmos para o nosso passado, e ao nos determos em nossa história, precisamos compreender, através da Sua Palavra que: “Assim é o Reino de Deus, como um homem que lança a semente sobre a terra...”. 
Olhando para a nossa vida cristã, muitas vezes nos detemos em análises frustrantes e desanimadoras a respeito da vida comunitária. De fato, o que queremos é ver os resultados baseados em nossos parâmetros de sucesso. Queremos frutos imediatos, mas ao contrário das nossas expectativas urgentes, encontramo-nos frequentemente presos em nós mesmos e nas realidades humanas com as quais temos que conviver e que, quase sempre, nos decepcionam.
A parábola da semente que cresce espontaneamente nos lembra que o nosso papel enquanto, formadores, missionários, líderes e mesmo enquanto comunidade deve concentrar-se em "continuar a semear", a proclamar o Evangelho, a Palavra de Deus, lançando sempre as sementes, abrindo-nos às contínuas tentativas e iniciativas, com a certeza de que aí está o segredo da fidelidade e da esperança.
Na certeza de que não estamos sós e de que a Palavra que anunciamos não é nossa e que o sucesso do anúncio não depende apenas de nós mas, sobretudo, do poder de Deus, que nos garante, “o agricultor vai dormir e acorda, noite e dia, e a semente vai germinando e crescendo, mas ele não sabe como isso acontece”.
É claro que isso não significa que devemos ceder à tentação do conformismo, da preguiça ou da superficialidade, deixando tudo para Deus. Pelo contrário! Nós somos portadores da Palavra, enquanto Boa Notícia de Deus para este mundo. Essa é a nossa força, a força das nossas comunidades. Isto é, a Palavra que é a força transformadora de Deus!
Se em nossas comunidades o anúncio da Palavra não ocupar o centro de nossas ações, corremos o risco de anunciar tantas coisas, inclusive, coisas boas e bonitas, usando tantos meios eficientes, porém, perderemos o foco e a centralidade da nossa missão, isto é, o anúncio do Evangelho! A verdadeira semeadura.
Trata-se de um anúncio que não visa o sucesso, mas tem como meta, a verdade! Essa verdade constitui, portando, nossa tarefa e nossa meta, tarefa e meta da qual nenhuma comunidade de fé e nenhum cristão pode fugir.
As parábolas de Jesus nos oferecem a oportunidade para uma reflexão que vai também ao nível pessoal. A parábola da semente de mostarda, por exemplo, nos recorda que basta apenas uma pequena semente, uma motivação aparentemente sem importância, para reabrir a nossa vida a grandes projetos, grandes transformações, com frutos inesperados. Diferentemente do que pensamos, na maioria das vezes, essa transformação e abertura para grandes projetos não brotam de acontecimentos estupendos e fantásticos. Quem espera por isso, certamente, irá frustrar-se, depois ter negado a si mesmo a oportunidade de aprofundar o olhar nos acontecimentos, encontros e situações do cotidiano. O dia a dia é o canteiro no qual a pequena semente pode nos surpreender!
Com a ajuda da Palavra de Deus e da sua graça, basta um pequeno passo em direção ao bem e à verdade, para reabrir a nossa vida aos frutos que antes, talvez, não faziam parte de nossas expectativas.
Há sempre um tempo para compartilhar, para recuperar, para reerguer-se e para lançar-se ao novo! Esse tempo começa com a abertura para acolher a novidade, o inusitado. Começa também quando abrimos um espaço, com humildade, à Palavra de Deus em nossa vida!
Aliás, tudo sempre começa a partir de uma pequena semente, inclusive o bem e o belo, e até mesmo o mal. O bem, a verdade, a justiça, a caridade, o amor, a empatia, a sensibilidade, mas também a raiva desencadeada, um lucro indevido, uma vantagem indevida, a insensibilidade etc desde o princípio não passam de uma pequena semente, mas depois se tornam “árvores incomensuráveis”!
Esta parábola nos coloca diante da grande oportunidade e da responsabilidade que os gestos que podemos ou não realizar nos proporcionam.  São pequenos gestos de bondade que devemos continuar a fazer com fidelidade, continuar a semear com paciência e perseverança, sabendo que amanhã podem tornar-se grandes árvores para a nossa vida ou para a vida dos outros. Ao mesmo tempo, devemos também estar atentos para não permitir que as pequenas sementes ruins sejam semeadas em nossas vidas, na sociedade, no nosso cotidiano porque, a princípio, podem parecer insignificantes, mas depois, também essas podem tornar-se “grandes árvores”. Quanto à semente da Palavra e do bem praticado, aparentemente insignificante aos olhos de um mundo fundamentado no poder e na força, na verdade, estão destinadas ao grande, ao belo e forte, a ponto de nos surpreender! (Frei Alfredo Francisco de Souza, SIA – Superior dos Missionários Inacianos – formador@inacianos.org.br – Website: www.inacianos.org.br).





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...